Açores: São Miguel, A Ilha Verde

A minha primeira viagem a São Miguel foi em Setembro de 2015. Não te consigo transmitir 100% o que senti durante os dias em que lá estive, só sei que já regressei 6 vezes à Ilha Verde (até hoje!), e comigo levei sempre família e amigos para que pudessem sentir aquilo que sinto cada vez que lá vou!

Em São Miguel estou em casa! Adoro a liberdade que me faz sentir! Consigo desligar-me do mundo, das tecnologias, das pessoas, conectar-me mais com a minha essência, e acima de tudo carregar novas baterias!

Já me perguntaram se tinha um namorado Micaelense! Não, não tenho! Sou mesmo apaixonada pela ilha, pelas pessoas genuínas que por lá tenho conhecido, pelas paisagens de cortar a respiração, pela pronúncia que rapidamente ganho e adoro, sem esquecer claro, a óptima comida e o vinho local!

Viajar e Fotografar são duas das minhas grandes paixões! Vários amigos me têm dito ao longo dos anos, que devia de iniciar um Blog e publicar as fotografias das minhas viagens. Que através das minhas fotografias conseguiam “conhecer” os sítios por onde vou passando de uma perspectiva diferente à que estavam habituados a ver nas redes sociais.  E foi através destes incentivos que decidir incluir esta temática no meu Blog.

Nos próximos posts desta rubrica, vou dar-te dicas úteis e sugestões para te ajudar no planeamento da tua viagem a São Miguel.

Para já, vou apenas partilhar contigo alguns testemunhos de amigos que viajaram comigo a São Miguel.

E tu? Já visitaste São Miguel? O que sentes ou sentiste quando lá foste? Aos que ainda não foram, ficaram com mais curiosidade em conhecer a ilha?

Até breve,

Joana Glória

Catarina

Quando decidi ir a São Miguel confesso que já fui um pouco contaminada por todas as fotografias que a Joana colocava nas suas redes sociais. Transmitiam uma paz incrível e era isso mesmo que eu precisava de sentir. A decisão de ir foi muito repentina, apetecia-me escapar uns dias e então não tive muito tempo para planear nada e lembrei-me de lhe pedir umas dicas para rentabilizar os poucos dias que tinha na ilha e conhecer o máximo.

A Joana não só me deu dicas, como, à minha frente, quase em segundos, desenhou o mapa de São Miguel e colocou no sítio exato tudo o que eu deveria visitar. Ainda pesquisei algumas coisas, talvez na “esperança” de que não me falhasse nada na minha curta visita a São Miguel mas, surpresa das surpresas, a Joana tinha-me transmitido exatamente tudo o que valia a pena no itinerário que me tinha feito. Além dos sítios, ainda me sugeriu algumas aplicações que eu poderia utilizar e que poderiam facilitar a minha estadia e, de facto, todas foram bastante úteis. Curiosamente cruzei-me com a Joana em São Miguel e conseguimos visitar alguns sítios juntas (até sítios onde eu já tinha ido sozinha mas com o acrescento dos pormenores de onde se tirava a melhor fotografia, etc).

Além de todo conhecimento que ela já tem sobre o local, o entusiasmo que mostra por São Miguel é contagiante.

Obrigada Joana por me dares a conhecer este pedacinho de paraíso que me marcou tanto e que quero lá voltar assim que possa e, claramente que, se não visitar contigo, te irei pedir mais dicas!

Estou muito grata 🙂 beijinhos

 

Nicole

 

 Já tinha ido ao Pico e ao Faial com a Joana em Julho passado, e em Outubro surgiu a possibilidade de ir também com ela a São Miguel, ainda que por apenas 2 dias. Não podia deixar passar esta oportunidade! A primeira experiência tinha corrido muito bem e estava apaixonada pelas nossas ilhas maravilhosas, cada uma com um encanto diferente, e só imaginava qual seria o encanto da S. Miguel  Se gostei, ADOREI!!! É sem dúvida a ilha mais charmosa de todas com tudo um pouco, toda ela tropical e com uma beleza interminável de um extremo ao outro. A vista do Rei/Lagoa das Sete Cidades foi

uma das vistas que tive o privilégio de desfrutar em pleno com céu limpo, subi ao terraço do antigo hotel de 5 estrelas que fora pilhado e que se encontra abandonado. Gostei muito da Lagoa do Congro, do Salto do Cabrito, adorei banhar-me no Parque Terra Nostra e na Caldeira Velha, comer bolo lêvedo, comer Lapas e cracas, assim como passear na praia de Santa Bárbara. Regressar? Sim, sempre que houver oportunidade, é um sítio com uma óptima gastronomia, paisagens lindíssimas e trilhas para fazer. A tão poucas horas de casa com tanta oferta acho que há quem procura lá fora coisas que nunca explorou bem cá!

 

 

Deixe uma resposta